quarta-feira, 21 de julho de 2010

São Paulo, 9 de Abril de 2006

A Paz do Senhor Jesus Cristo!

Olá, com muito prazer nos encontramos novamente para compartilhar das bênçãos do Amor de Deus.

Vamos meditar neste sentimento "Amor de Deus". Pela sua grandeza e sabedoria, sabemos que tudo é perfeito, principalmente as nossas imperfeições para que diante de nossas fraquezas sejamos dependentes do seu poder.

Se falamos em Amor é porque sentimos que temos algo no coração mas quando queremos transforma-lo em atitudes percebemos a nossa dependência de Deus para que ela seja eficaz e resulte em bênçãos para nós e o próximo.

Por outro lado como podemos falar de Amor se não o sentimos? Como podemos falar da laranja sem ter provado seu sabor? Como vamos conhecer a Deus se não pedir um encontro com Ele?
Portanto o primeiro passo é marcar um encontro, o segundo é esperar, o terceiro é discernir, o quarto é agradecer.

Gostaria de analisar o terceiro passo com mais detalhes: sabemos que há dois caminhos espirituais, o que é de Deus e o que não é de Deus, quando limpamos o coração e buscamos um caminho que alegre uma criança, sabemos que estamos buscando o verdadeiro Pai Espiritual.

Por isso precisamos pedir a Ele que nos ajude a discernir o verdadeiro caminho.

Muitos não conseguem atingir este discernimento, pois consultam a si mesmos e assim ficam presos dentro de seus preconceitos de analises exteriores não conseguindo ter a segunda visão que é a do Espírito Santo. Somente vamos sentir quando ofertarmos os cinco sentidos (olfato, paladar, audição, visão, tato) para que Deus os capacite a viver no plano espiritual do Amor verdadeiro.

A conseqüência deste encontro é a felicidade que muitos procuram, mas não tem a convicção do que ela seja. Em primeiro estágio vislumbram como sendo uma situação de paz e equilíbrio com abundância de saúde, de dinheiro, de amigos, de emprego, etc... Essa visão é o resultado dos cinco sentidos de forma egocêntrica sem a humildade de reconhecer que o homem é incapaz de criar o homem, portanto precisa se convencer de que é feliz para encobrir seu egoísmo e arrogância achando que é auto-suficiente para se fazer feliz.

Observe a imaturidade desta situação, o homem buscando um pássaro chamado felicidade para colocar dentro de uma gaiola para ter a certeza de que ela lhe pertence.

Vamos ampliar agora o ângulo de visão e condensar este sentimento em três sinônimos (Amor, Vida, Paz), nesta união encontramos uma certeza de que felicidade é sentir um Amor verdadeiro durante toda a Vida que nos traz a Paz por saber que quem nos criou nos ama antes de nascermos.

Portanto, felicidade é amar e sentir-se amado pelo criador de todo o Universo.

Observe a amplitude desta genealogia (Pai, Filho, Espírito Santo) contemple a dimensão e pureza desta união, vislumbre o poder de uma união entre um Pai e o Filho numa proporção Espiritual, agora olhe a diferença quando estamos no plano dos cinco sentidos como fazemos desta união uma relação idólatra e possessiva, o quanto sofre um filho quando os pais não confiam no amor que deram e assim não consegue emancipa-los emocionalmente.

O resultado desta deformação de educação emocional é a proliferação de famílias incompletas e adolescentes inseguros, gerando uma hipocrisia de felicidade de ostentação. Ou seja, o jovem somente se sente feliz se é bem aceito pela sociedade em que convive, ele perde a referencia pessoal e a personalidade vocacional se transformado num mero andarilho de consumo pela vida. Não tem coragem de fomentar caminhos próprios de sinceridade por não ter uma referencia convicta de direção, vive de forma superficial, onde valores como fidelidade, caráter, dignidade, humildade, honra, respeito, etc..., são substituídos por: malícia, esperteza, hipocrisia, adultério, falsidade, etc. Vive numa carência viciada de idolatrar e ser idolatrado, são adultos carentes e imaturos.

Nós adultos cheios de cicatrizes no coração, que chegamos ao Amor Ágape através das dores das desilusões com as vaidades humanas, devemos como postura de gratidão ser pastores destas ovelhas que ainda restam a se manterem puras para abreviarem este encontro com a Unção que transforma os cinco sentidos primários em Dons Espirituais de: cura, libertação, sabedoria, louvor, profecias, etc...

Assim nesta viagem de retorno ao coração de Deus levamos conosco a certeza de que todo o conhecimento humano sem a coragem de se jogar no Amor de Deus para tê-lo no coração seria como o metal que soa ou como o sino que bate.

Ate mais, fique com Deus!

Sérgio H.

Nenhum comentário: